AL rejeita projeto para plebiscito para discutir privatização de estatais

A Assembleia Legislativa (AL) rejeitou a PL 69/2018 do Poder Executivo que discutia a possibilidade da realização de plebiscito para privatização da da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e da Sulgás. Por 29 votos a 23, os deputados votaram na noite desta terça-feira após a mesa diretora aprovar o encaminhamento do projeto de decreto legislativo ao plenário.

O projeto alterava a lei que dispõe sobre a realização de consultas referendárias e plebiscitárias no âmbito das competências da Assembleia Legislativa. O texto reduzia de cinco para três meses o prazo entre o chamamento e a realização de um plebiscito para consultar os eleitores sobre a federalização ou a privatização das estatais. Com isso, a consulta não vai mais acontecer em 2018, junto com as eleições em outubro.

O projeto foi encaminhado à Casa Legislativa pelo governador José Ivo Sartori, que aposta na privatização de estatais para a adesão do Rio Grande do Sul ao regime de recuperação fiscal.

Os deputados passaram a tarde desta terça-feira debatendo a realização ou não de plebiscitos. A sessão foi aberta e contou com a presença de um público significativo. O líder do governo na Assembleia, o deputado Gabriel Souza (MDB) defendeu a PL 69 e questionou a postura da oposição que estaria evitando a realização da consulta pública no Rio Grande do Sul.

O deputado Luiz Fernando Mainardi (PT) comemorou a vitória em plenário e destacou que o governo de José Ivo Sartori entra enfraquecido no processo de reeleição, uma vez que outros temas terão de ser debatidos a partir de agora. “Se foi o governo Sartori. Eles sabiam que não tinham votos e tentaram colocar o plebiscito como forma de manipular a opinião pública no processo eleitoral. O povo gaúcho quer tratar sobre saúde, segurança e educação e não sobre três empresas estatais”, criticou.

Nas galerias e do lado de fora da Assembleia, funcionários das três companhias fizeram pressão contra o projeto, desde o início da tarde. Após a votação, eles comemoraram soltando foguetes na Praça da Matriz.

Outras Notícias

Última semana para se inscrever no concurso público do Banrisul

Resta uma semana para quem pretende se inscrever no concurso público do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisu...

Canudos plástico saem de cena

Nunca se leu tanto sobre o perigo do canudinho plástico descartado na natureza quanto nos últimos anos. A imprensa na...

Prorrogadas inscrições para processo seletivo para Central Estadual de Regulação do Samu

Foram prorrogadas até sexta-feira as inscrições para processo seletivo simplificado para preenchimento de vagas na Ce...

Concurso para policial rodoviário federal tem 500 vagas e salário de R$ 9,4 mil

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou, nesta quarta-feira, o edital para concurso público com 500 vagas. O salá...

Litoral gaúcho pode ficar sem guarda-vidas no Natal

No Natal e no Ano-Novo, os veranistas correm o risco de ficar sem segurança na orla, pois os guarda-vidas ameaçam dei...

Denatran ignora e-mail com pedido do Detran sobre novas placas

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) afirmou que não recebeu nenhum ofício ou pedido do Detran do Rio Grand...

Sem Damião, Inter inicia semana de treinos

O elenco do Inter se apresentou na manhã desta quarta-feira para os últimos treinamentos do ano. A atividade no CT Pa...

Me senti envergonhado, diz D'Ale sobre final adiada na Argentina

O adiamento da final da Copa Libertadores, entre River Plate e Boca Juniores, após o apedrejamento do ônibus xeneize ...

Frio se intensifica nesta quarta no Rio Grande do Sul

O frio continua predominando no Rio Grande do Sul nesta quarta-feira. De acordo com a MetSul Meteorologia, a instabil...

Arthur é novidade entre os relacionados do Grêmio para enfrentar o Palmeiras

O volante Arthur está novamente à disposição de Renato Portaluppi. O jogador, que sofreu uma lesão muscular no Gre-Na...